Dúvidas frequentes sobre acupuntura


 

O que é acupuntura?

A acupuntura é especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina desde 1995. Esse reconhecimento mostra à sociedade que a acupuntura é uma terapia científica e os médicos são únicos profissionais qualificados e legalmente habilitados para praticar a acupuntura com os devidos cuidados que ela exige.


Como funciona?

A partir da segunda metade do século XX, graças às pesquisas científicas empreendidas por médicos chineses e ocidentais, os mecanismos de efeitos (ação) da acupuntura vêm sendo desvendados. Sabe-se hoje que a inserção de uma agulha de acupuntura estimula terminações nervosas existentes na pele e músculos. Esses estímulos geram uma mensagem que segue pelos nervos periféricos até o Sistema Nervoso Central (medula espinhal e cérebro), onde, através da liberação de substâncias químicas específicas, desencadeiam uma série de importantes ações: analgésica, antiinflamatória, relaxante muscular, de controle das emoções, de melhoria da imunidade e outros. 


Quais doenças ela pode tratar?

Estudos bem controlados, à luz da metodologia científica, comprovam a abrangente ação da acupuntura. Esses dados a indicam no tratamento de variadas disfunções orgânicas, quais sejam neurológicas, psiquiátricas, ginecológicas, pulmonares, ortopédicas, reumatológicas, digestivas, entre outras. Em decorrência dessas evidências, a Organização Mundial da Saúde (OMS) organizou uma extensa lista com mais de 300 doenças tratáveis através da acupuntura, que tem sido utilizada como referência em vários países.

Em resumo, todas as doenças ou distúrbios que apresentem sintomas de dor, inflamação, contração muscular, ansiedade, depressão, reações alérgicas e outras, podem ser tratadas pela acupuntura. 


Como é um atendimento em acupuntura?

Uma consulta em acupuntura vai muito além do que uma simples inserção de agulhas no corpo. O atendimento deve seguir uma sequência obrigatória de procedimentos realizados em qualquer outra consulta médica: ouvir o paciente, em uma anamnese, realizar o exame físico, solicitar e interpretar eventuais exames complementares e elaborar um diagnóstico clínico. Com base nos dados da consulta o médico decidirá  se  o tratamento por acupuntura está indicado e se existe necessidade de associar alguma medicação ou outra modalidade de tratamento, e estabelecerá um prognóstico. Nessa ocasião, explicará também sobre a técnica de tratamento com acupuntura e as possibilidades de sucesso para o caso.

Nunca se faz o diagnóstico só por meio de palpação de pulso e/ou com exame de língua. Um  diagnóstico energético também é um procedimento equivocado.


Quais os profissionais habilitados para a sua prática?

As únicas profissões de saúde do país, que, por recomendação pela AMB - Associação Médica Brasileira (definido por lei), detêm o direito a diagnosticar doenças, realizar procedimentos invasivos, prescrever medicamentos, são os médicos, cirurgiões dentistas e médicos veterinários. O Colégio Médico de Acupuntura defende que a prática da acupuntura no Brasil seja realizada por estes profissionais, nos seus respectivos campos de atuação.


As agulhas podem transmitir doenças?

A regulamentação da ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária diz que a prática da acupuntura deve ser realizada exclusivamente com material descartável. Os médicos devem abrir as agulhas novas e antes do uso, na frente do paciente.

Formas de reutilizar as agulhas não são recomendadas. A literatura mundial coleciona uma série de relatos de pessoas vítimas de doenças transmitidas por agulhas de acupuntura: hepatite, meningite, encefalite, mastoidite. Portanto, deve ficar claro que as agulhas não podem ser levadas para casa ou reutilizadas (nem no mesmo paciente), tampouco guardadas no consultório ou algo semelhante.

Agulha usada tem que ser descartada.

 

 

Veja também:
Acupuntura como tratamento para problemas emocionais
10 alimentos que fazem bem para a pele
O que é a medicina preventiva?
Acupuntura para diminuir a ansiedade
Tratar a obesidade através da prática ortomolecular