Medicina Ortomolecular: O Que Você Precisa Saber!


 

A denominação Medicina Ortomolecular existe desde as primeiras publicações do PhD, Prof. Linus Carl Pauling (1901 -1994), bioquímico, cientista, pesquisador, com prêmios Nobel de Química e da Paz, na revista Science em 1968.

Neste mesmo período foi criado inicialmenteThe Journal of Orthomolecular Psychiatry, e a medida em que as pesquisas bioquímicas celulares/moleculares foram ampliadas para diversas áreas médicas passou a se chamar-se The Journal of Orthomolecular Medicine onde são publicados estudos clínicos e pesquisas de grande relevância. As bases bioquímicas da Medicina Ortomolecular envolvem, essencialmente, os conceitos de radicais livres, reações de oxiredução e estresse oxidativo.

Os radicais livres têm sua ação fisiológica contra os agentes agressores ao organismo como bactérias, vírus, dentre outros. Mas, quando em excesso favorecem enfermidades relacionadas à patogênese do câncer, doença cardiovascular, aterosclerose,hipertensão,injúria isquemia/reperfusão( infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral), diabetes mellitus, doenças neurodegenerativas (Doença de Alzheimer,Parkinson,catarata,etc.), artrite reumatóide, envelhecimento, asma, ovários microcísticos, esquizofrenia, transtorno bipolar, TDAH entre outras.

No Brasil, a Medicina Ortomolecular é representada pela Associação Brasileira de Medicina Ortomolecular e sua proposta é:

1 - Identificar, o mais precocemente possível, o Estresse Oxidativo evidenciado de forma subclínica ou clínica nas diferentes fases da vida do indivíduo, ou seja, quer na gestação, na infância, na adolescência, na adultícia ou na senescência.

- Avaliar o indivíduo de maneira global, através de uma avaliação clínica(Anamnese), a mais completa possível e exames complementares necessários a cada caso.

- Analisar a bioquímica individual, identificando os biomarcadores de Estresse Oxidativo. A maioria destes biomarcadores de Estresse Oxidativo fazem parte dos exames solicitados na clínica médica diária. Portanto, a questão é ter o devido conhecimento para poder correlacioná-los com seu significado bioquímico celular/molecular, base da Medicina Ortomolecular

4 - Considerar as consequências na saúde das interações do Homem com o Ambiente. Isto envolve local de moradia, de trabalho, a profissão, os hábitos(alimentação, fumo, drogas, etc.), os agrotóxicos, a qualidade da água, do ar, do solo, a poluição sonora, etc.

Apesar de inúmeras publicações científicas brasileiras e/ou estrangeiras(99212 artigos no site do PubMed em 14/05/2012), o desconhecimento do conceito bioquímico celular/molecular de estresse oxidativo e as aplicações clínicas da Medicina Ortomolecular, como CIÊNCIA que se sobrepõe às diferentes áreas médicas, infelizmente, ainda está sujeita ás distorções tanto na mídia leiga como no próprio meio médico.

Entre muitas das distorções encontra-se a propaganda inadequada de emagrecimento e dietas ditas "ortomoleculares", que na realidade não é o objetivo da Medicina Ortomolecular. Ela visa ao equilíbrio bioquímico molecular/celular do organismo humano, considerando a bioquímica individual e se utiliza, essencialmente, de vitaminas, minerais, aminoácidos e ácidos graxos essenciais para restabelecer, na medida do possível, este equilíbrio.

Desta forma, pode intervir em todas as fases da vida do indivíduo, possibilitando uma ação preventiva ampla e favorecendo uma melhor qualidade de vida.

A Medicina Ortomolecular possui uma abrangência de superposição em diferentes áreas do CONHECIMENTO Médico e Ambiental.

imagem

Autora: Dr. Guilhermina G.L.Guanaes - Neurologista, Nutrologa, Diretora Científica da Associação Brasileira de Medicina Ortomolecular

Fonte - Revista Arquitetura & Saúde, Junho/2012, Edição nº 2


Medicina Ortomolecular: Seu Papel no Equilibrio do Homem com o "Todo".

O meio ambiente sofre influência do homem assim como o homem sofre influência do meio ambiente, tendo repercussões para ambas as partes. Diferentes agentes podem desencadear uma série de distúrbios no organismo humano que podem levar a doenças, nem sempre identificáveis, em virtude dos sinais e sintomas ocorrerem de forma inespecífíca.

Algumas fontes e os agentes que podem gerar estes distúrbios:


imagem Água - Encanamentos (de chumbo, ferro ou cobre); lixo industrial, hospitalar e/ou domiciliar.

 
_____________________________________________________________________________________________


imagem Solo - Empobrecimento de alguns minerais, levando a carência nos alimentos plantados.

 

_____________________________________________________________________________________________



imagem Ar - Gases poluentes (O3,CO, NO2), metais tóxicos como chumbo, alumínio, mercúrio, cádmio (na bateria de celulares).

_____________________________________________________________________________________________



imagem Alimentação - Presença nos alimentos de agrotóxicos, hormônios,antibióticos, corantes, acidulantes, conservantes, recipientes de alimentos(ex. recipientes de alumínio).

_____________________________________________________________________________________________



imagem Utensílios - Panelas de alumínio, cobre, ferro (recomenda-se uso de colher de madeira para diminuir o deslocamento de partículas do metal pelo atrito).

_____________________________________________________________________________________________



imagem Poluição Sonora - Intensidade de ruídos: no trânsito, no trabalho, em residências, em discotecas ou em jogos eletrônicos.

_____________________________________________________________________________________________



imagem Poluição Visual - Excesso de propagandas luminosas.

_____________________________________________________________________________________________


imagem Clima - Mudanças de temperatura favorecem doenças respiratórias, cardiovasculares e/ou cerebrovasculares.

_____________________________________________________________________________________________



imagem Radiações - Não ionizantes(Ultra Violeta) e ionizantes (RX, Raios Beta e Gama e Telefone Celular).

_____________________________________________________________________________________________



Essas condições podem gerar desequilíbrios bioquímicos moleculares que possibilitam a formação do excesso de Radicais Livres, denominado de estresse oxidativo. Estas condições podem ocasionar lesões podendo levar até a morte celular, dos órgãos e até do indivíduo.


O estresse oxidativo está presente no mecanismo de formação e desenvolvimento de doenças de diversas origens, quer sejam:

- Inflamatórias, infecciosas, degenerativas, isquêmicas, endócrinas, neurológicas, psiquiátricas e oncológias (cânceres).

O principal objetivo da Medicina Ortomolecular é identificar, o mais precocemente possível, as consequências das agressões ambientais que afetam o homem ao longo de sua vida, para que medidas de intervenção clínica possam ser adotadas de forma a lhe proporcionar melhor saúde física e mental, com qualidade de vida.

Essa identificação é feita por meio de uma avaliação médica integrada das condições clínicas, emocionais, culturais e socioambientais do indivíduo.

A combinação da avaliação clínica, da poluição ambiental e de suas interações facilita a formulação de diagnósticos baseados em sintomas clínicos(onde a doença já está presente) e/ou subclínicos(onde os sinais e os sintomas são gerais e inespecíficos).

A sintomatologia de diversas intoxicações e/ou contaminações muitas das vezes são inespecíficas.

A medida que esse conhecimento seja internalizado, estudado e aceito pela área da saúde, esta associação permitirá que se efetuem tratamentos preventivos, que levem a prognósticos mais favoráveis e a diminuição de custos futuros em termos de Saúde e Politicas Públicas.

 

 
Autora: Dr. Guilhermina G.L.Guanaes - Neurologista, Nutrologa, Diretora Científica da Associação Brasileira de Medicina Ortomolecular

Texto adaptado do trabalho “La Medicina Biomolecular y Su Papel En El Equilibrio del Hombre con el “TODO”, de autoria de Guilhermina L. Guanaes e Luiz Paulino Guanaes Silva  apresentado no 1º Congreso Mundial de Salud y Medío Ambiente Urbano Madrid, España, 6-10 julio, 1998.

Fonte - Revista Arquitetura & Saúde, Agosto/2012, Edição nº 3

 

 

Veja também:
Acupuntura como tratamento para problemas emocionais
10 alimentos que fazem bem para a pele
O que é a medicina preventiva?
Acupuntura para diminuir a ansiedade
Tratar a obesidade através da prática ortomolecular